segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

merda

palavras boiam num rio
desaguam num mar de belos textos
onde algumas batalham contra monstros
vão para outras partes do globo
se sobrevivem, relatam-nos
as belas paisagens que viram
as tristezas que já conheciam
as mortes e cantos de morte
os caralhos e cantos de trabalho
tudo tão belo que só pensamos
' q u e   b e l o '

as minhas, entretanto,
caminham para o continente
e desaguam numa cachoeira
de merda e morte
onde os defuntos estão
com olhos abertos e corpos inchados

estou ali
e me recolho entre os meus. eu sou

apenas outra merda. e boiamos...

Nenhum comentário: