sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Soneto dos cinco alpendres

Pelos alpendres que eu descobri
arranjei um novo jeito de amar
Pra cada um, um reboco de mim
Pra cada noite, um pedaço de altar

Entre os alpendres e pastos de boi,
em cinco noites me redescobri
Na beira do alpendre tudo se foi,
no meio do mundo o diabo sorri

Chamei de bonita essa história
Chamei de lindo tudo o que era seu
Dentro de alpendres pintados de glória

descobri cinco facetas de Deus
Entre os alpendres pintados de glória
cinco milagres: teus olhos ateus.

Nenhum comentário: