segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Eu sempre quis ser um ídolo do rock.

Sempre brinco: Eu faço teatro por que sou um músico frustrado. E talvez realmente o seja:

Quando estou sozinho em casa, o que impera sonoramente é a minha playlist 'masterpieces - rock'. Se as pessoas precisam de rituais para alcançar um grau mais elevado de espiritualização, esse talvez seja um dos meus. Parece que algo toma conta de mim, e não sei muito bem explicar o que é. Como se me desse uma vontade de deixar tudo pra trás, entrar dentro de um ônibus velho com um bando de gente louca, feia e fedida em busca de uma platéia desconhecida.
Criando riffs inesquecíveis, criando letras que falassem de amor, de ódio, de física quântica e tudo embalado ao som de uma Fender. Ao lado de uma Marshall que iria expressar as batidas do meu coração e o drive da minha guitarra seria a voz rouca de meus dedos tortos.
Todos os dias, meu café da manhã sendo champagne com ovos fritos e uma cartela de aspirina.
Minhas letras sendo cantadas por gerações e gerações de fãs que contariam aos seus netos sobre como foi aquela vez em que o Bruno deu um mosh que fraturou a costela de um, ou daquela vez em que o Bruno saiu deslizando de joelhos mais de 8 metros pelo palco enquanto fagulhas estouravam nas suas costas e o público pegava fogo aclamando, ao ouvir a última nota de sua guitarra: BIS! BIS!
E lá em cima, estaria eu. Destemido e desbravador, com uma boa voz e dedos ligeiros. Seria o ícone de muitos jovens que iriam chorar, mais tarde, a minha morte prematura.

Talvez eu goste muito de viver.

Não sou eu

2 comentários:

Zuni disse...

"Its better to burn than fade away" - Kurt Cobain

Acredito que a vida divide as pessoas em dois tipos: De um lado os que sonharam com o glamour de acordar caídos no próprio vômito abraçado com uma Fender e uma fã. Do outro as pessoas que simplesmente não valem a pena.

De qualquer maneira, ser escritor é algo próximo de ser um rockstar, sem as groupies, as DST's e as calças coladas.

Douglas Christo disse...

"A vida só é melhor vivida quanto menos se pensa sobre ela."
Eu mesmo, até prova em contrário.