quinta-feira, 20 de maio de 2010

Padrefilia



Sonhei eu que ia preso
Sem motivo de prisão
Simplesmente havia dito
Para o padre Benedito
Que eu estava muito aflito
Fiz a minha confissão

Ele foi compreensivo
E tocou meu coração
Fez carinho na minha alma
Com a sua dura palma
Me deixou com muita calma
Abaixou o meu roupão

Me falou que expurgaria
O demônio, a tentação
Sua espada iluminada
Deslizava, inflamada
Com os nervos excitada
Pra tirar minha ilusão

Eu gritava extasiado
E compunha uma oração
"Ó Senhor que me vigia
Não me julgue nesse dia
Não estou numa orgia
Estou numa exorção"

Eu estava confessado
Fiz a minha confissão
E voltei todo inocente
Muito delicadamente
Arquitetando na mente
Como ganhar essa ação

Nenhum comentário: