sábado, 24 de abril de 2010

O meu fim será (mais ou menos) assim

Serei um velhinho solitário. Um pouco patético, até. Um velhinho bonzinho, apesar de parecer sábio.

Nesse dia, eu estarei com uma roupa simples, mas fazendo de tudo para parecer um personagem de algum filme qualquer. Estarei totalmente grisalho, de dreads e com minha ampla calvície aparecendo. Talvez eu use chinelos que lembrem tamancos, junto com uma meia de algodão, uma calça de moletom e uma camisa regata branca.
Ao lado de um toca CD e com um bom e velho notebook na minha frente (não por ser prático, mas nesse época será bonito viver assim. Desapegado da tecnologia. Será uma época de reciclagem). Darei um trago no meu cigarro, olharei para meu texto por cima da fumaça e darei um sorriso debochado. Vou pensar, olhando a fumaça:


- Fumar é uma droga.


Me levantarei, colocarei o notebook sobre qualquer superfície plana que encontrar pelo meu caminho e irei em direção à cozinha da minha casa. Lá, irei encher uma caneca de café e irei procurar o meu jornal. Por acaso, o jornal daquele dia não haverá sido entregue, então eu descerei pelas escadas até o térreo (visto que morarei no 9º andar). Descerei pela escada, não por conta da minha saúde, e sim para parecer que sou um velhinho atlético.
Chegarei no térreo um pouco cansado, mas não me mostrando ofegante. Ainda estarei com o cigarro na boca, mas irão falar assim que eu passar:


- Ele é o Seu Lourenço. É meio sozinho. Não mexe com ele, não.


Irei atravessar a rua, mas não perceberei o sinal aberto. Um carro baterá no meu corpo frágil.
E meu copo de café cairá no chão, ao lado dos meus óculos quebrados que irão enxergar um cigarro apagado e fora de foco.
E pronto. Escuro.


Quase isso.
Mas de banho tomado.

3 comentários:

Lívia da Estrella disse...

Todo mundo deseja uma morte rápida, né?


Hmmm, não sei porque, mas acho que o Seu Lorenço não vai ser um homem sozinho.

Carol Campos disse...

você será um velhinho como o joe King.

Anônimo disse...

POr que vc escreveu este texto?
beijos
Marina