quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Sobre os controles

Controles nos dão poderes. De fala, de escuta. Até mesmo de abrir um canal de comunicação. Controles abrem a possibilidade de comando, são eles que definem o tempo das coisas, o momento de acontecerem. Controle é um substantivo muito subjetivo.

Diversas vezes eu já pensei em como ter controle sobre mim. Como controlar minhas palavras, meus pensamentos. Minha ações, por vezes, são extremamente controladas. E são verdadeiras quando são controladas por mim.

Há milênios que buscamos nosso controle. Seja através da meditação, da filosofia, do amor... Toda forma de controle é a alavanca do descontrole. Um completa o outro numa busca universal de equilibrio. É como uns tais ying e yang.
O papo tá começando a ficar subjetivo, vamos dar uma guinada.

Existem camelôs que vendem controles antigos. Todo o tempo precisamos de um controle novo e, vez ou outra, esquecemos dos antigos. Não sabemos lidar com o nosso hoje, por que o nosso ontem está entre as frestas de algum sofá perdido no tempo. É por isso que o controle é algo tão dificil de ser controlado.

Só pra coisa ficar um pouco clichê:
"Não existe caminho para a paz. A paz é o caminho"
Mahatma Gandhi

Escolha o seu

Um comentário:

Mayra disse...

Lindo!!!