terça-feira, 18 de agosto de 2009

Ensaio sobre o furacão...

Imagine-se na posição de alguém que espera, observa e guarda. Alguém que não tem controle de nada daquilo que lhe rodeia. Que sente uma falta de interesse absurdo por algo que, outro dia, lhe havia sido uma proposta de distração.Imagine-se extremamente rodeado de movimento e você ali, inerte, olhando as mochilas. É como se os olhos pesassem, o corpo implorasse descanso, a mente algum tipo de distração... Mas aquilo tudo te sufoca de forma tão suprema que você não consegue, sequer, se ensimesmar.Uma espécie de tranqüilidade artificial.Me sento num cantinho de grama e é como se eu colocasse minha mente e meu olhar num lugar obsoleto enquanto sou rodeado por essa espécie de furação

Nenhum comentário: